A atividade física e o climatério

Ao longo da vida o corpo das mulheres passa por diversas mudanças tendo como finalidade a reprodução, deve estar pronto para gerar um bebê. A natureza é tão perfeita que soaria como um ‘engano’ imaginar que o encerramento deste ciclo pudesse passar despercebido, pois é, ele não passa. Estamos falando do climatério, a transição entre o estado reprodutivo e não reprodutivo da mulher provocando diversos sintomas (muito além dos famosos calores!!) que reduzem a sua qualidade de vida. Assim, trazemos a temática ao Blog + Saúde para posicionar os benefícios que a atividade física pode agregar neste momento de vulnerabilidade física, psíquica e emocional. Vamos lá?

De modo geral, o esgotamento da produção do hormônio estrogênio provoca alterações em vários pontos pelo corpo feminino. O 1º deles é a proteção cardíaca que tal hormônio exercia, tornando a mulher mais vulnerável a cardiopatias (aterosclerose, infarto..) . A queda hormonal também  traz desequilíbrios na reconstrução dos ossos, acelerando a perda óssea no esqueleto e tornando-o mais poroso e sensível a fraturas. Deste período da vida se destacam também a queda na taxa metabólica basal  e da massa magra, os quais comprometem a capacidade do corpo no gasto de energia, ao mesmo tempo que favorece o acúmulo de gordura. Tais detalhes ainda podem trazer problemas de pressão arterial e dislipidemias (Botogoski, SR; Lima, SMRR, Ribeiro, PA AG, Tsutomu, A;2009). Os principais sintomas decorrentes das mudanças hormonais são:

Adaptado de Dias R, Oliveira AT, Vespasiano BS, Nascimento DC, Prestes J, 2013.

Na busca pelo alívio das sensações,  as terapias de reposição hormonal (TRH), usadas há tempos, tem sido cada vez mais restritas e substituídas por outras medidas prático-terapêuticas dado o não consenso médico das chances de câncer nesses tratamentos (Dias R, Oliveira AT, Vespasiano BS, Nascimento DC, Prestes J,2013). Uma saída tem sido a Nutrição, resgatada pelos bons resultados que o Cálcio, Magnésio e o Fósforo apresentaram junto as mulheres quando incluídos na dieta.

Adaptado de Botogoski, SR; Lima, SMRR, Ribeiro, PA AG, Tsutomu, A;2009

Outro a ganhar espaço como alternativa aos remédios foram os Exercícios Físicos, cujo estudos recentes apontam para caminhos promissores, embora muitas dúvidas ainda existam sobre quais tipos de exercício e intensidade seriam os mais efetivos. Por sua vez, tanto as atividades aeróbicas quanto os exercícios de força conseguiram aliviar os sintomas, combinadas ou não (Dias R, Oliveira AT, Vespasiano BS, Nascimento DC, Prestes J,2013).

Mesmo não estando totalmente conhecido como acontece o alívio vaso motor dos calores, parece que  treinos regulares e intensos elevem as b-endorfinas hipotalâmicas, estabilizando a sua termo regulação. Pesquisas também associaram menores sintomas urogenital, de insônia, humor, ansiedade e dores articulares nas mulheres que são fisicamente ativas (Tairova, OS; De Lorenzi, DRS, 2011). Estão listados a seguir outros benefícios relacionados às mulheres em climatério quando engajadas em um programa de treinos.

 

Para a Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte (SBME, 2000) a prescrição dos Exercícios para mulheres deve ir além dos itens comuns a um programa de qualquer pessoa: Capacidade Aeróbica, Força Muscular, Flexibilidade e Composição Corporal. Deve objetivar a mudança e a permanência para um estilo de vida ativo. De fato, as mulheres ativas sofrem menos durante o climatério e isso significa melhor qualidade de vida em todos os aspectos: físico, psíquico e social. A tabela abaixo traz informações muito próprias  para se exercitar com segurança, lembrando que sempre é importante consultar um Educador Físico.

Essas colocações evidenciam como o incentivo à prática de exercícios para as mulheres é imprescindível , não somente durante o climatério, mas em todas as fases de vida e assim manter a sua saúde. A mulher de hoje reproduz o estilo contemporâneo de vida, o qual aumenta cada vez mais os fatores de riscos à doenças e ao sedentarismo, sendo este, hoje o maior deles . Faz-se urgente a adoção de estilo de vida mais ativo. Neste sentido, é fundamental repensarmos as práticas de saúde pública oferecidos no país, estruturas e serviços, os quais devem incluir cursos e oficinas educacionais à população. Estudos nos EUA e na Itália atestam que o acesso as informações do processo do climatério proporcionam melhor entendimento às mulheres, alterando positivamente suas percepções, autoestima e qualidade de vida. Se pensarmos no que temos oferecido por aqui… ainda há um bom caminho pela frente, não?

Um abraço e mãos à obra sempre.

Leandro Delazaro

Personal Trainer

 

 

 

 

AnteriorPor que é importante para o idoso se exercitar?
PróximoO ano novo e a prometida volta aos treinos