Hérnia de disco e a Musculação

Antes de iniciar esta leitura, por favor, observe com atenção a posição em que está sentado (a). Pronto? Se sua coluna está ereta e bem posicionada, parabéns! Faz parte de uma minoria… O fato é que o descuido com a postura da nossa coluna ao longo dos anos, entre outros fatores da vida moderna, tem contribuído bastante para o aumento dos casos de hérnias de discos, tema da dúvida a ser respondida este mês aqui no Blog Mais Saúde:

Pois bem, veremos a seguir algumas das possíveis causas da hérnia de disco, bem como da importância da atividade física no chamado tratamento conservador (não medicamentoso) na busca de melhora e redução nos níveis de dores na coluna associadas a esta doença. Vamos lá!

De modo geral, a hérnia de disco ocorre quando o disco intervertebral, conforme o próprio nome diz, localizado entre os corpos das vértebras da coluna, tem uma de suas partes deslocadas para fora. Na maioria das vezes ocorre para fora do canal vertebral, comprimindo as raízes nervosas (ou mesmo a medula) provocando a dor. Tais discos funcionam como verdadeiros amortecedores que absorvem as forças de tração muscular, da gravidade e das cargas de uma vértebra contra a outra. Sabe-se também, que tendem a se tornar mais rígidos ao longo da vida pelo aumento do colágeno (DANGELO, J; FATTINI, C; 2000). Por sua vez, fatores bio-psico-sociais têm sido descritos como os principais responsáveis nos casos de hérnias, aos quais estão relacionados os componentes genéticos, o sedentarismo e o sobrepeso, sendo estes últimos cada vez mais relevantes em nossa sociedade ‘tecnológica’ (COSTA, D; PALMA, A; 2005).


Conforme relato da leitora, os exercícios físicos têm sido amplamente indicados como parte do tratamento da hérnia de disco, com o objetivo de melhorar o alongamento e flexibilidade da coluna, fortalecer os ligamentos e músculos que envolvem as vértebras e ajudar no controle do peso. Tais benefícios, obtidos com a prática regular e bem orientada, têm resultado na diminuição dos níveis de dor, e até mesmo de sua eliminação em alguns casos. Entretanto, a consulta ao médico antes de começar qualquer atividade física é imprescindível! Só assim será possível conhecer e avaliar o grau da lesão, bem como qual a melhor conduta de tratamento, se cirúrgico ou conservador, os quais não dispensam medicações, fisioterapias e os exercícios.

Atuação do exercício na coluna

Atividades aquáticas são muito procuradas devido as redução do efeito da gravidade sobre a coluna, aliviando a tensão nas vértebras (CAETANO, L.F.; MESQUITA, M.G.; LOPES, R.B.; PERNAMBUCO, C.S.; SILVA, E.B.; DANTAS, E.H. M, 2006). Já o pilates atua com ênfase no alongamento, flexibilidade e resistência muscular, refletindo diretamente na postura corporal no dia-dia, aí outro detalhe importante. Realizá-las simultaneamente em dias alternados é altamente positivo e a entrada da musculação no cenário, como pergunta a internauta, só traria ainda mais benefícios ao programa, pelas seguintes razões:

A musculação (ou Exercício Resistido) é a melhor modalidade para aumentar a resistência e força muscular. Com cautela, ela agiria na manutenção e formação de massa magra, além de ajudar no gasto energético ao acelerar o metabolismo, interessante no processo de redução de peso sempre recomendado a quem tem hérnia.

Todavia, o maior ganho desta vivência se dá na prática dos exercícios com movimentos isométricos e sobrecargas progressivas, capazes de estimular os músculos mais profundos da coluna, os eretores da espinha e o multífido. O resultado deste fortalecimento e estabilização é a melhora das dores junto às vértebras. Assim, é fundamental consultar um educador físico! (COSTA, D; PALMA, A; 2005).

Por fim, após essas considerações, esperamos ter dado o “empurrão” que faltava à leitora para a inclusão da musculação em sua rotina semanal! Fica também o alerta e o incentivo para outras pessoas adotarem uma vida ativa. Lembramos a necessidade de se consultar o médico e o educador físico antes de iniciar qualquer trabalho multidisciplinar, estando ou não a hérnia de disco envolvida.

É fato, dedicação e disciplina serão quesitos importantes! Por outro lado temos a certeza que a redução das dores, bem como a melhora de outros aspectos ligados à saúde e a aptidão física conquistada valerão a pena! É o resgate da qualidade de vida, e acima de tudo, do contato e o cuidado com o seu próprio corpo.

Um abraço, mãos à obra sempre e de olho na postura!

AnteriorVoltei a correr, mas não emagreço
PróximoVoltando a treinar após lesão