Hoje é Dia Mundial da Atividade Física

Hoje é o dia Mundial da Atividade Física e que antecede (não por coincidência) o Dia Mundial da Saúde, 7 de abril, afinal, os estudos comprovam quem se exercita vive melhor, com mais qualidade e saúde. Muito legal seria se pudéssemos comemorar estes dois dias com inúmeras notícias positivas, por exemplo, sobre a crescente prática de exercícios físicos, a mudança do estilo de vida das pessoas, a sensível queda no número de doenças crônicas, diabetes, obesidade, problemas cardíacos e metabólicos, entre outras.

Terceira idade com saúde

Porém, infelizmente os números são bastante preocupantes. Em 2010, a ONU afirmou que a atual geração irá viver 10 anos a menos que a geração de seus pais devido ao sedentarismo e a má alimentação. Quase uma década a se passar e essa realidade não mudou muito mundo a fora, ao contrário, os sinais são de piora.

“Esta é a primeira geração de crianças a apresentar doenças antes restritas aos adultos, como depressão, diabetes e problemas cardiovasculares” Margaret Chan, então diretora geral da ONU.

Para se ter ideia, no Brasil o IBGE divulgou em 2017 o resultado do PNAD (Pesquisa Nacional por Amostras de Domicílios)  mostrando que 62% dos brasileiros com 15 anos ou mais não pratica nenhuma atividade física. Isso representa 100,5 milhões de pessoas de um total de 168 milhões nesta faixa etária.

Já colocamos no Blog Mais Saúde inúmeras matérias conscientizando os benefícios da adoção de uma vida fisicamente ativa e de uma alimentação saudável. Da mesma maneira, comentamos que não é necessário se matricular em nenhum lugar, academia ou clube, para fazer uma atividade que tire o corpo do estado de repouso.

Mudar essa realidade não é tarefa fácil e não existe a “pílula mágica”, contudo, começar de alguma forma é preciso. Algumas possibilidades dependem de cada um de nós, revendo hábitos alimentares, de comportamento e de práticas corporais…Caminho que conduz para um processo de reeducação em um mundo tecnológico que nos seduz a não nos movimentarmos para nada. Aliás, há que se mencionar a imprescindível implementação de novas políticas públicas e educacionais dos governos neste sentido, no funcionamento das cidades, na educação das escolas e manutenção (criação) de mais espaços públicos como parques e praças.

Procure a orientação dos profissionais da saúde para te ajudar, opte por viver mais e com saúde. Faça a sua parte!

Um abraço e mão à obra,

Leandro Delazaro

 

 

AnteriorO ano novo e a prometida volta aos treinos
PróximoAtividade Física no tratamento de Câncer